Documentário sobre transexual surpreende Festival de Gramado

“Olhe Para Mim De Novo” é a história de um transexual do sertão cearense

Dois documentários sobre transexuais marcaram a noite da quarta-feira, 10 de agosto, no 39ª Festival de Cinema de Gramado. O brasileiro Olhe Para Mim De Novo, de Kiko Goifman, foi a grande surpresa da noite, podendo despontar como favorito no festival. Na mostra internacional foi exibido o uruguaio El Casamento.


Olhe Para Mim De Novo acompanha a história de um transexual, do feminino para o masculino, do sertão cearense, Silvyo Luccio, que costuma dizer que era mulher, virou lésbica e agora é homem. Silvyo tem personalidade forte, uma eloquência ímpar e expõe todo seu carisma ao dar suas dicas para conquistar mulheres.

Funcionário público formado em Letras, Sylvio viaja por estados do Nordeste para mostrar outras pessoas que sofrem preconceito. O filme é leve, tem belas imagens e não cai no sensacionalismo ao abordar um tema tão sensível.

O personagem de Sylvio animou o público ao explicar como funcionava sua prótese peniana. A cena é gravada na rua, ao lado de um anônimo sentado na calçada, o que deixa o plano mais hilário.
Olhe Para Mim De Novo teve boa receptividade da crítica e é sério candidato a ganhar kikitos. O documentário deu fôlego para um júri decepcionado com filmes como Ponto Final e País dos Desejos. Até então, Riscado era dado como favorito, não por ser um grande filme, mas pela falta de opções. Karine Teles, que interpreta a personagem principal do longa carioca, é a favorita para o prêmio de melhor atriz.

Uma Longa Viagem, documentário de Lúcia Murat, agradou a quase todos, mas, como figurou na premiação do festival de Paulínia, pode ser que fique de fora do prêmio da crítica. O documentário As Hiper Mulheres, que retrata um ritual indígena do Alto Xingu, foi bem recebido, mas é provável que não ganhe os principais kikitos. Nesta quinta-feira (11) será exibido o último concorrente, O Carteiro.

El Casamiento
A produção uruguaia El Casamiento conta a história de Julia Brian, uma transexual de 65 anos que vive com o pedreiro aposentado Ignácio Gonzales, 75 anos. Ambos se conheceram em um Natal e passaram a morar juntos.

A relação entre Gonzales e Julia é acompanhada por um pequeno e expressivo cachorro, que cumpre papel de filho do casal e é praticamente um ator coadjuvante. Mesmo parecendo liberal, Ignácio aparenta ser um homem conservador (ele faz questão de dizer que Julia é uma mulher e que jamais casaria com um travesti). El Casamiento mostra a batalha de duas pessoas contra solidão.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *