Reino Unido ameaça reduzir ajuda financeira a países homofóbicos

Os conservadores ingleses continuam sua ofensiva pró-LGBT. Após as declarações da ministra da Igualdade e do Primeiro Ministro, foi a vez de Andrew Mitchell, secretário de Estado para o Desenvolvimento Internacional e visto como sucessor de David Cameron, fazer sua declaração. Segundo o Daily Mail, Andrew Mitchell ameaça com uma emenda os países da África que forem muito longe na perseguição dos LGBT. Essa emenda tomaria a forma de uma redução das ajudas financeiras acordadas a esses países. O Malaui teria, assim, já perdido 19 milhões de libras esterlinas no momento em que a justiça do país condenou dois gays a 14 anos de trabalhos forçados – eles foram agraciados em seguida.

Uganda e Gana se encontram agora no colimador de Andrew Mitchell. O primeiro por voltar depois de meses em torno de uma lei que puniria a homossexualidade com pena capital, o segundo pelas declarações de seu presidente, que chamou para parar a “ameaça homossexual”.

“Nós alocamos agora os fundos todos os três meses, antes era todos os anos, a fim de poder avaliar as performances de um país, por exemplo, no domínio dos direitos humanos, e tomar as medidas quando os resultados não estão à altura do esperado. Nós só aportamos nossa ajude diretamente aos governos quando eles dividem nossos engajamentos para reduzir a pobreza e a respeitar os direitos humanos”, declarou ao Daily Mail um dos porta-vozes de Andrew Mitchell.

O jornal inglês reporta que se o Gana e a Uganda são citados, numerosos outros países onde não é bom ser gay, lésbica ou trans recebem ainda ajudas importantes, tais como o Paquistão, a Nigéria, o Vietnam ou o Zimbábue.
Fonte: Yagg

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *