Vacina elimina lesões causadas por HPV

Pesquisadores da USP desenvolvem uma vacina capaz de eliminar 100% dos tumores e lesões causados pelo vírus HPV 16, de transmissão sexual. Ele é responsável por câncer de colo do útero, cabeça, pescoço, ânus e pênis.

Segundo o pesquisador Luís Carlos Ferreira, da USP, grande parte da população já teve contato com o HPV: até os 50 anos, 80% das mulheres serão infectadas por algum dos mais de cem tipos do vírus, dos quais o 16 é um dos que mais causam câncer.

As vacinas já disponíveis na rede privada impedem a infecção pelo micro-organismo. Mas o novo produto vai ser indicada para quem já está infectado. A substância induz as células de defesa a reconhecer lesões e atacá-las. Os testes foram feitos em roedores, mas estudos clínicos em humanos começarão dentro de um ano e meio, em São Paulo. De acordo com os cientistas, apenas uma dose da vacina é capaz de acabar com todos os tumores.

HPV
O vírus do papiloma humano (VPH ou HPV, do inglês human papiloma virus) é um vírus que infecta os queratinócitos da pele ou mucosas, e possui mais de 200 variações diferentes. A maioria dos subtipos está associada a lesões benignas, tais como verrugas, mas certos tipos são frequentemente encontrados em determinadas neoplasias como o cancro do colo do útero, do qual se estima que sejam responsáveis por mais de 90% de todos os casos verificados.

A principal forma de transmissão do HPV é por via sexual, sendo a doença sexualmente transmissível (DST) mais frequente. Estima-se que 25 a 50% da população feminina mundial esteja infectada, e que 75% das mulheres contraiam a infecção durante algum período das suas vidas. A maioria das situações não apresenta sintomas clínicos, mas algumas desenvolverão alterações que podem evoluir para cancro.

O exame de rastreio para diagnóstico destas alterações é a citologia cervical ou Papanicolau. A infecção também pode ocorrer no homem e, embora as manifestações clínicas sejam menos frequentes do que na mulher, estima-se que 50% da população masculina esteja infectada pelo virus.

Da redação, com informações da Agência de Notícias da AIDS

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *