Câncer de mama e de próstata são os vilões de mulheres e homens

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), neste ano o Brasil terá 500 mil novos casos de câncer. O mais encontrado em ambos os sexos é o de pele do tipo não-melanoma, sendo cerca de 53 mil novos casos em homens e 60 mil em mulheres. 


Entre os homens, os outros cânceres mais comuns são: próstata (52 mil), pulmão (18 mil), estômago (14 mil) e cólon e reto (13 mil). Entre as mulheres, o câncer de mama ainda é o maior vilão (49 mil novos casos), depois vem o colo do útero (18 mil), cólon e reto (15 mil) e pulmão (10 mil). 

Os cânceres de próstata, mama, sistema nervoso central e rim serão discutidos durante o Oncoville Meeting, que acontece nos dias 1º e 2 de setembro, em Curitiba. Para esclarecer sobre os dois tipos de cânceres que mais atingem homens e mulheres, o presidente do Oncoville Meeting, o radioterapeuta Henrique Balloni, responde algumas questões.


1. Todos os homens acima dos 80 anos terão câncer de próstata? Por quê?
Henrique Balloni:
Não. Estima-se que cerca de metade dos homens com idade acima dos 50 anos tenham câncer na próstata. Esse valor sobe para 80% aos 80 anos.
Entretanto, apenas um em cada 26 homens irá morrer desta doença. 



2.  O câncer de próstata causa esterilidade em homens?
Henrique Balloni:
Não existe relação entre câncer de próstata e esterilidade. 



3.  Um paciente com câncer de próstata pode ter perda da masculinidade?
Henrique Balloni:
A masculinidade, ou seja, as qualidades ou características consideradas típicas de um homem, é resultado do hormônio masculino denominado testosterona. Em alguns pacientes com diagnóstico de câncer de próstata há necessidade de bloqueio e ou eliminação da produção de testosterona, já que se trata de um estimulante de crescimento das células cancerígenas da próstata.



4.  Homem também pode ter tumores de mama?
Henrique Balloni:
Sim. Segundo estatísticas americanas, ocorre em menos de 1% dos casos de câncer de mama.



5.  Quanto mais cedo o câncer de próstata aparece, maior será a sua agressividade?
Henrique Balloni:
Não necessariamente. A agressividade do câncer de próstata é mensurada por diversos fatores como valor de PSA (antígeno prostático específico), tipo de célula cancerígena e extensão do tumor na próstata. A idade não é considerada fator prognóstico.



6.  O câncer de mama é o mais incidente entre as mulheres? Por quê?
Henrique Balloni:
O câncer de mama é provavelmente o mais temido pelas mulheres, devido à sua alta incidência e, sobretudo pelos seus efeitos psicológicos. Ele é relativamente raro antes dos 35 anos de idade, mas acima dessa faixa etária é bastante frequente. 



7.  Todo nódulo de mama é câncer?
Henrique Balloni:
Não. Existem algumas características identificadas nos nódulos pela mamografia, ultrassonografia e ressonância magnética das mamas que podem indicar maior probabilidade do nódulo ser maligno ou benigno. É fundamental avaliação dessas características pelo mastologista.



8. A reposição hormonal, na menopausa, pode desenvolver câncer de mama?
Por quê?

Henrique Balloni: Pode aumentar a incidência de câncer de mama se realizada por longo período. O conceito da reposição hormonal mudou. Sua indicação é mais restrita aos sintomas da menopausa, devendo ser usada na menor dose por um prazo mais curto. As alternativas ao seu uso são hábitos de vida mais sadios e tratamentos não-hormonais. Os fitoestrogênios estão sendo amplamente experimentados. Eles são eficientes para melhorar ondas de calor e para a lubrificação vaginal.

9. Quem já teve câncer na família é mais propício a desenvolver a doença?
Henrique Balloni: Só muito raramente. O câncer se apresenta com um componente hereditário realmente importante, com algumas poucas famílias carregando genes que predispõem ao desenvolvimento de tumores malignos. Do ponto de vista prático, as doenças malignas devem ser entendidas como resultantes da exposição do organismo a agentes cancerígenos que criam condições para o desenvolvimento do câncer. É claro que a existência de casos familiares deve ser sempre pesquisada quando se estabelece um programa individual de prevenção e diagnóstico precoce. Entretanto, os aspectos hereditários do câncer não devem ser motivo de preocupação no momento em que se encontra o diagnóstico de câncer em algum parente próximo.


10. As mulheres que menstruam muito cedo ou são mães depois dos 30 anos têm mais propensão a ter câncer de mama?
Henrique Balloni: Menstruar muito cedo ou parar de menstruar muito tarde expõe a
mulher mais tempo aos hormônios femininos (estrógeno) e por isso, aumenta o risco
de câncer de mama. Não ter filhos ou engravidar pela primeira vez tarde (após os 35 anos) é outro fator que pode aumentar o risco para o câncer de mama.



11. Prótese de silicone causa câncer?
Henrique Balloni: Não há estudos que relacionem câncer de mama com prótese de silicone.



12. A pílula anticoncepcional causa câncer? Henrique Balloni: Existem alguns estudos que sugerem que o uso prolongado de anticoncepcional oral, por longo período, pode predispor a risco de câncer de mama.   


13. O câncer de mama sempre volta a aparecer em quem já teve a doença?Henrique Balloni: Não, maior parte dos tumores de mama quando diagnosticados no início apresentam taxas de cura elevadas acima de 90%.

14. Para garantir que uma pessoa esteja curada é necessário esperar um período de cinco anos?
Henrique Balloni: Qualquer doença maligna deve ser acompanhada indefinidamente pelo oncologista. Após cinco anos do diagnóstico a probabilidade de retorno diminui, mas nunca é zero.
Serviço: O Oncoville Meeting 2011 ocorre nos dias 1º e 2 de setembro, das 8h30 às 17h30, no Hotel Deville Rayon. O encontro será realizado na Rua Visconde de Nácar, 1424, Curitiba, Paraná.


Mais informações e inscrições pelo site www.oncoville.com.br.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *