Vaticano é envolvido em denúncias de corrupção e prostituição masculina

Engenheiro e ajudante de Bento 16 são acusados de promover prostituição masculina no Vaticano

A alta cúpula do Vaticano está toda enrolada em denúncias que envolvem prostituição masculina e licitações para obras públicas. O primeiro a rodar foi o nigeriano Ghinedu Ehiem, que nesta quarta, 03, foi expulso do prestigiado coro da Basílica de São Pedro depois seu nome aparecer no escândalo. Ele era um dos ajudantes diretos do papa Bento 16.

De acordo com o jornal italiano “La Repubblica”, o bafo culminou também na prisão e no afastamento do engenheiro Angelo Balducci do grupo “Cavaleiros de Sua Santidade”, que atua no Palácio Apostólico do Vaticano.

Segundo as denúncias, a polícia registrou gravações telefônicas em que Ghinedu Ehiem é ouvido negociando o envio de homens, inclusive seminaristas, para o engenheiro. Em uma das gravações, o italiano pergunta a Ehiem a que horas um dos jovens deveria retornar ao seminário.

Balducci faz parte da diretoria do departamento de obras públicas do Vaticano e é acusado de fraudar licitações em obras do complexo La Maddalena, na Sardenha.

Em um documento que deve ser enviados aos juízes que cuidam do caso, tanto Balducci quanto Ehiem são apontados como integrantes de “uma rede organizada de amparo à prostituição masculina”.

Na foto: O engenheiro Angelo Balducci, um dos pivôs do escândalo no Vaticano

Fonte: Mix Brasil
Foto: Corsera / Itália

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *