Publicação sobre aborto legal e seguro é pauta para jornalistas em Porto Alegre

Em evento direcionado a jornalistas, será lançado nesta sexta-feira (25/03), às 14h30min, o Guia para Profissionais de Comunicação sobre Aborto. A publicação é uma iniciativa das Jornadas Brasileiras pelo Direito ao Aborto Legal e Seguro e servirá de fonte de informações para o trabalho dos profissionais de comunicação que tratarem do tema do aborto, além de indicar fontes especializadas, de forma a colaborar com reportagens sobre o assunto. O local da apresentação deste documento é o Sindicato Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul, Rua dos Andradas, 1270, 13º andar, centro da capital gaúcha. A programação está sendo promovida pelas entidades componentes do Fórum Municipal de Porto Alegre, Campanha Ponto Final na Violência contra as Mulheres e Meninas, Rede Feminista de Saúde Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos e tem o apoio dos Núcleos de Jornalistas pela Igualdade de Gênero e Jornalistas Afrobrasileiros, do Sindjors. O lançamento do guia está ocorrendo em todo o Brasil e na capital gaúcha faz parte das ações do Dia Internacional da Mulher.

A publicação tem o objetivo de esclarecer profissionais de comunicação a respeito da questão do aborto no Brasil, um dos 69 países do mundo detentor de uma legislação das mais restritivas em relação a essa temática. A iniciativa busca “qualificar a informação e colocar um documento com referências para a mídia e imprensa brasileira e da América latina” acerca da questão. Para tanto, foram utilizados dados oficiais de centros de pesquisa nacionais e estrangeiros, além de ter sido feita uma revisão histórica da abordagem legal do aborto, qualificado como ilegal em todos os casos exceto quando há risco de vida para a gestante ou se a gravidez tiver sido fruto de estupro, em resolução do Código Penal instituída em 1940.

As Jornadas Brasileiras pelo Direito ao Aborto Legal e Seguro constituem uma coalização feminista de redes, organizações e ativistas que trabalham pelos Direitos Humanos das mulheres desde 2004. Seus objetivos têm sido impulsionar a agenda dos direitos reprodutivos no Brasil; defender uma revisão legislativa para garantir às mulheres o direitos ao aborto seguro e impedir retrocessos no exercício dos direitos sexuais e reprodutivos.

Saúde pública – Para a jornalista e secretária executiva da Rede Feminista de Saúde, Telia Negrão, o aborto inseguro é um grave problema de saúde pública reconhecido pela comunidade internacional nas diferentes conferências promovidas pelas Nações Unidas. Ela alerta que este procedimento quando realizado sob condições precárias – por pessoas sem a necessária capacitação ou em ambientes que não apresentem os mínimos padrões sanitários – causa seqüelas à saúde da mulher e, muitas vezes, sua própria morte. “Acresce-se a isto, lembra, uma importante questão que precisa ser considerada que é a criminalização que pesa sobre a decisão das mulheres, diante da interrupção de uma gravidez”.

A importância do Guia para Profissionais de Comunicação sobre Aborto, de acordo com Telia Negrão, está em oferecer informações precisas para que o jornalista, o agente da notícia, faça a diferença nas suas matérias, reportagens, releases ao fornecer dados e fontes que mostrem a realidade e consequências da prática do aborto inseguro no país.

Serviço:
Assunto: Apresentação da publicação: ABORTO – Guia para profissionais de comunicação – Uma publicação das Jornadas Brasileiras pelo Direito ao Aborto Legal e Seguro
Data: 25 de março de 2011 – sexta-feira
Horário: 14h30min
Onde: Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul – Rua dos Andradas, 1270 – 13º andar – Centro de Porto Alegre/RS.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *