Projeto de Marta para união estável homoafetiva é aprovado no Senado

Foi aprovado na manhã desta quinta-feira (24), na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado, o Projeto de Lei do Senado 612/2011, de autoria da senadora Marta Suplicy (PT-SP), que altera os artigos 1.723 e 1.726 do Código Civil para reconhecer como entidade familiar a união estável entre pessoas do mesmo sexo e sua conversão em casamento.  

A mudança adequa o texto do Código Civil à decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), de maio de 2011, que reconheceu à união estável homoafetiva o mesmo regime jurídico aplicável à união estável heteroafetiva. Além de trazer segurança jurídica à decisão do STF, o projeto da senadora Marta possibilitará a conversão da união estável homoafetiva em casamento.

O PLS 612/2011 teve voto favorável da relatora, senadora Lídice da Mata (PSB-BA), e segue agora para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Em seu relatório sobre o projeto, Lídice lembra que a conversão de união estável em casamento não tem qualquer relação com o casamento religioso. “O projeto dispõe somente sobre a união estável e o casamento civil, sem qualquer impacto sobre o casamento religioso. Dessa forma, não fere de modo algum a liberdade de organização religiosa nem a de crença de qualquer pessoa, embora garanta, por outro lado, que a fé de uns não se sobreponha à liberdade pessoal de outros”, apontou em seu relatório.

Para Marta, a aprovação do projeto representa um avanço histórico para a luta pelos direitos de lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e travestis (LGBTs) dentro do Congresso Nacional. “Muito me emociona ver o Senado, pela primeira vez em 186 anos de história, aprovar um projeto dessa natureza”, disse a senadora.

Em 1995, quando era deputada federal, Marta Suplicy apresentou um projeto de parceria civil entre pessoas do mesmo sexo. Foi a primeira proposta para beneficiar casais homossexuais com direitos cedidos aos heterossexuais no Congresso. Dezesseis anos depois, ao assumir o cargo de senadora, ela cumpriu sua primeira promessa de campanha conseguindo desarquivar o projeto de criminalização da homofobia. Além de assumir a relatoria desse projeto, a senadora, antiga defensora dos direitos dos homossexuais, apresentou em 2011 outras quatro propostas para garantir direitos aos cidadãos LGBTs.

Foto: Pablo Valadares/Agência Senado

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *