O que é um prato saudável para especialistas em nutrição?

BOSTON, EUA – Especialistas em nutrição da Escola de Saúde Pública de Harvard (HSPH) elaboraram o que eles chamaram de o “Prato da Alimentação Saudável”, um guia visual que oferece um planejamento para comer melhor. A publicação não é a primeira deste tipo — o governo americano já havia lançado o “MyPlate” (Meu Prato) —, mas se destaca por dar orientações mais detalhadas. Não há nenhuma fórmula inovadora no trabalho produzido pelos pesquisadores da universidade de mais prestígio nos Estados Unidos. Ele reforça a necessidade de comer muitos vegetais, frutas e grãos integrais e diz que é importante se manter longe das gorduras. Mas a pesquisa é bem detalhada e se baseia em estudos novos e de prestígio.

O “Prato da Alimentação Saudável” é baseado nas últimas e melhores evidências científicas que mostram que uma dieta rica em vegetais, grãos integrais, gorduras saudáveis e proteínas saudáveis diminui o risco de ganho de peso e doenças crônicas. Orientar os americanos na busca por uma alimentação saudável é muito importante, já que os Estados Unidos e o mundo enfrentam uma crescente epidemia de obesidade. Atualmente, dois entre três adultos e uma entre três crianças estão acima do peso ou são obesos nos EUA.

— Queremos que as pessoas usem isso como um modelo para seu próprio prato saudável ou de seus filhos cada vez que se sentarem para uma refeição — em casa ou num restaurante — disse Eric Rimm, professor associado de Epidemiologia e Nutrição no HSPH.

Da mesma forma que o “MyPlate”, o guia elaborado pelo governo americano, a publicação de Harvard é simples e de fácil entendimento — e aponta deficiências no MyPlate.

— Infelizmente, assim como a antiga Pirâmide do Departamento de Agricultura Americano, o “MyPlate” mistura ciência com a influência de poderosos interesses de agricultores, o que não é a receita para uma alimentação saudável — disse Walter Willett, professor de Epidemiologia e Nutrição e chefe do Departamento de Nutrição da HSPH. — O “Prato da Alimentação Saudável” é baseado nas melhores evidências científicas e oferece aos consumidores a informação de que eles precisam para fazer escolhas que podem afetar profundamente nossa saúde e bem-estar.

O guia do governo não informa que grãos integrais são melhores para a saúde do que grãos refinados. A parte em que fala sobre as proteínas não dá indicações de que algumas comidas ricas do nutriente — peixe, aves, feijão, nozes — são mais saudáveis que carne vermelha e carnes processadas. Também não há informações sobre as gorduras benéficas, não faz distinções entre batata e outros vegetais, e recomenda ingestão de leite em cada refeição, mesmo que haja poucas evidências de que a alta ingestão de leite proteja contra a osteoporose, mas evidências substanciais de que o consumo elevado pode ser prejudicial. Por fim, o guia oficial não diz nada sobre bebidas com adição de açúcar. A publicação de Harvard recomenda que as pessoas se mantenham ativas, um fator importante no controle de peso.

As seções do “Prato da Alimentação Saudável” incluem:– Vegetais: Coma uma grande variedade: quanto mais, melhor. É recomendado o consumo limitado de batata, já que ela é cheia de amido rapidamente digerido, que tem o mesmo efeito montanha-russa de açúcar no sangue que os grãos refinados e os doces. No curto prazo, esses picos de açúcar e insulina no sangue dão a sensação de fome e fazem as pessoas comerem demais. No longo prazo, leva ao ganho de peso, diabetes tipo 2, doenças cardíacas e outras doenças crônicas.

Frutas: escolha um arco-íris de frutas todos os dias.

Grãos integrais: Escolha cereais integrais, como aveia, pão integral e arroz integral. Grãos refinados, como pão branco e arroz branco, agem como o açúcar no corpo. Comer muitos grãos refinados pode aumentar o risco de doença cardíaca e diabetes tipo 2.

Proteínas saudáveis: Escolha peixes, aves, feijão ou nozes, que contêm nutrientes saudáveis. Limite carnes vermelhas e evite carnes processadas, uma vez que comer, mesmo pequenas quantidades regularmente, aumenta o risco de doença cardíaca, diabetes tipo 2, câncer de cólon, e ganho de peso

Óleos saudáveis: Use o de oliva, canola e outros óleos vegetais para cozinhar, em saladas,e na mesa, uma vez que estas gorduras saudáveis reduzem o colesterol ruim e são bons para o coração. Restrinja a manteiga e evite gordura trans.

Água: Beba água, chá ou café (com pouco açúcar ou sem). Leite e laticínios com o limite de uma a duas porções por dia, e suco (1 copo pequeno por dia) e evite bebidas com adição de açúcar.

Em termos de quantidade, o guia não se baseia em calorias, já que a necessidade diária varia de uma pessoa para outra. O objetivo do “Prato da Alimentação Saudável” é ilustrar uma forma de montar uma refeição saudável que se encaixe nas diretrizes da Pirâmide de Alimentação Saudável, que foi criada em 2001 e atualizada em 2008

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *