O filme Jogo de Cena, que discute relações de gênero, tem entrada franca nesta quarta, 15 de dezembro

Eduardo Coutunho dirige Fernanda Torres

O documentário de Eduardo Coutuinho que conta a história de vida de 12 mulheres é exibido nesta quarta-feira, 15 de dezembro, às 19h, na Sala Redenção, da UFRGS, com entrada franca, encerrando o ciclo de Cinema, Gênero e Sexualidade promovido pelo GEERGE. Após o filme, o público ainda poderá debater com a dra. Guacira Lopes Louro, professora da faculdade de Educação da UFRGS e o mestrando em teatro Daniel Colin, também da UFRGS.

A história começou a partir de um anúncio no jornal, onde o diretor fez um convite para que as mulheres pudessem contar suas histórias de vida para a gravação de um filme, além de atrizes que iriam interpretar essas declarações reais. O resultado foi um documentário sensível sobre a vida. Vida que imita a arte, que imita a vida.

O filme prova que uma idéia simples pode se transformar em obra-prima. Nada é muito fora do comum. Coutinho extrai das personagens fortes declarações, como sempre faz. As entrevistadas são sinceras, não fazem pose para a câmera, como se espera. As atrizes – entre elas Andréa Beltrão, Marília Pêra e Fernanda Torres – dão uma aula de atuação, o que também não é novidade. Tudo isso filmado no palco de um teatro, com apenas uma câmera e duas cadeiras.

As atuações são tão verossímeis que, excluindo as atrizes conhecidas, é difícil perceber se é uma atriz ou uma pessoa “real” que está falando. O diretor brinca com isso na edição, às vezes mostrando a atriz antes da entrevistada.

Jogo de Cena confirma a tese de que a realidade é tão cativante quanto a ficção. Não será exagero derramar algumas lágrimas durante o filme. É uma sincera homenagem às mulheres entrevistadas, às atrizes, à mulher brasileira.

Outra brincadeira de Eduardo Coutinho: no filme aparecem 12 mulheres, seis atrizes e seis entrevistadas. No entanto, são cinco as mulheres que têm uma correspondente atuando. As duas que sobram contam cada uma sua história. É uma grande surpresa quando, no final de um depoimento carregado de emoção, a mulher vem à câmera e diz: “Foi assim que ela disse”.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *