Na Paraíba, atores transformistas são agredidos pela Polícia Militar

Silvero Pereira na peça "Depois do Ponto"

O artista transformista Silvero Pereira publicou hoje em seu perfil no Facebook um desabafo sobre as ameaças e desrespeitos que ele (enquanto caracterizado como Gisele Almodóvar) e outras travestis sofreram pela Polícia Militar na cidade de Sousa, na Paraíba, na noite desta quinta-feira, 09 de agosto.

Gisele, Verónica Valentino e Yasmin Shirran participavam da performance “Gisele Vai ao Bar”, desenvolvida por Silvero, que consiste de convidar travestis da cidade do interior em que a equipe estiver (em Sousa, a convidada foi Sofhia). Na performance, as travestis vão a um bar da cidade e comem, bebem e frequentam o banheiro feminino – nas palavras de Silvero, a iniciativa tem o objetivo de “interferir diretamente na sociedade sobre sua visão a respeito das travestis”.

As travestis já haviam deixado o bar e estavam próximas ao Centro Cultural Banco do Nordeste com um grupo de amigos quando foram abordadas pela Viatura 5047 da Polícia Militar. Os policiais as colocaram na parede alegando busca por por drogas e dispensaram os amigos – que não estavam travestidos. Um dos policiais, ao ouvir que a equipe é de Fortaleza, disse: “Vocês não tem vergonha? Sair de Fortaleza para dar o rabo aqui?”. Gisele respondeu e foi ameaçada de passar a noite na cadeia se continuasse a desrespeitar a autoridade. Gisele e Verónica lembraram a ele que revistar ou agredir uma pessoa em situação feminina o enquadraria na Lei Maria da Penha. O policial mais velho continuou ameaçando e impondo sua autoridade sobre elas, enquanto o outro mostrava o revólver. Indignada, Gisele declarou, antes de o grupo se retirar:”Não sou obrigada a ficar aqui detida por policiais mal educados e agressivos como vocês, se quiserem me levar para delegacia será um favor, pois prestarei um B.O. contra vocês, pois me sinto agredida moralmente.”

Hoje, 10, Silvero irá até a delegacia local prestar queixa, e também a um programa de rádio da cidade para “expor o nível de segurança e cidadania existente em nossa sociedade”.

Confira o depoimento completo do artista.

Da Redação

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *