Morre último sobrevivente gay judeu do Holocausto

Gad Beck foi um combatente da resistência sionista

O último sobrevivente gay judeu conhecido do nazismo faleceu em Berlim, Alemanha, na última segunda-feira, 25 de junho. Prestes a completar 89 anos, Gad Beck era um combatente da resistência sionista durante a Segunda Guerra Mundial, e, no pós-guerra, um militante pelos direitos dos homossexuais quando a homossexualidade ainda era ilegal na Alemanha.

Sob o regime nazista, Gad ficou famoso por se vestir como membro da Juventude Hitlerista e entrar em um campo de deportação para libertar o seu amante, Manfred Lewin. No entanto, Lewin se recusou a ser separado de sua família, tendo sido deportado para Auschwitz, onde morreu.

Com as políticas nazistas contra os judeus se tornando mais brutais, Gad se juntou a um movimento clandestino de resistência sionista liderado por Chug Chaluzi. Ele e seus companheiros gays ajudaram a salvar judeus em Berlim, no entanto, pouco antes do fim da guerra em 1945, um espião o mandou para um campo de concentração, em Berlim, onde mais tarde foi libertado pelas forças aliadas.

A vida de Gad foi documentada em dois filmes, “A Vida de Gad Beck,” e “Parágrafo 175”, filme focado na perseguição nazista aos homossexuais, realizada no regime sob a legalidade do mesmo parágrafo do código penal.

Fonte: Mix Brasil

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *