Marcha das Vadias reúne centenas de homens e mulheres na Redenção

Com cartazes e pinturas no corpo com frases como “Estupro não tem justificativa”, “Indecente é o seu sexismo”, “Menos violência, mais orgasmos” e “Nossa luta é por respeito”, centenas de pessoas foram à Redenção na tarde deste domingo, 27 de maio, para a Marcha das Vadias.

Com o lema “se ser livre é ser vadia, então somos todas vadias”, a Marcha é um protesto pacífico contra a culpabilidade das vítimas de abuso, violência ligada a questões de gênero e desigualdade, além de reinvidicar a legalização do aborto.

O evento teve início às 13h, com a confecção de cartazes pelos participantes. Muitas das mulheres marcharam sem blusa ou nuas da cintura para cima, com frases pintadas no corpo – mas o evento também contou com muitos homens e até crianças, também estampando frases e cartazes. A mobilização ocorreu também em outras cidades do Brasil neste fim de semana.

A Marcha das Vadias, ou Slut Walk, é um acontecimento mundial que teve início em Toronto, no Canadá, em abril de 2011. Durante uma palestra sobre segurança no campus em uma universidade, um policial declarou que as estudantes não deveriam se vestir como vadias (“sluts”) para não se tornarem alvo de estupradores. Responsabilizar a vítima pelo abuso, infelizmente, não é raro – e as estudantes, diante de tal absurdo, se mobilizaram e organizaram a Slut Walk.

A ideia se espalhou pelo mundo e passou a acontecer em diversas cidades, sempre com o objetivo de acabar com a violência de gênero e com a culpabilização das vítimas de violência sexual. O movimento discute, também, estereótipos que cercam o gênero feminino e o direito da mulher à liberdade.

O Sul 21 lembra que  o Brasil ocupa o 7 º lugar em homicídio de mulheres: a cada 15 segundos, uma mulher é agredida em algum lugar do país. E, mesmo com o aumento das mulheres no mercado de trabalho na América Latina e Caribe, elas ainda são minoria. O Correio do Povo informa que a diferença entre os gêneros no mercado reduziu em 4% em duas décadas, e as mulheres ocupavam, em 2011, 42,7% dos empregos na região.

Confira algumas fotos da manifestação:

(Foto: Bernardo Jardim Ribeiro/Sul21)

(Foto: Bruna Andrade/Especial Sul21)

(Foto: Bernardo Jardim Ribeiro/Sul21)

(Foto: Marian Pessah, via marchadasvadiaspoa.tumblr.com)

(Foto via marchadasvadiaspoa.tumblr.com)

Da Redação

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *