Homofobia em calourada em Natal

Foto: Ana Amaral/DN/D.A Press

Na mesma semana em que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) julgará um dos mais emblemáticos casos sobre união homossexual, duas universitárias lésbicas foram vítimas de homofobia durante uma festa universitária, em Natal. A estudante de Administração Neiara Oliveira, de 22 anos, curtia a festa da calourada da Universidade Federal do Rio Grando Norte (UFRN), junto com a namorada, na segunda-feira, quando foi surpreendida por rapazes que não aceitaram a troca de beijos entre as moças. Elas foram empurradas contra uma mesa e levaram tapas e socos.

De acordo com Neiara, ela estava acompanhada de sua namorada, que é estudante de arquitetura, e mais dois amigos, que saíram para cumprimentar conhecidos em um outro local. Foi então que elas trocaram beijos e foram repreendidas por um grupo de rapazes “bem aparentados”, que fizeram piadas e se reportaram a ambas em tom de deboche. “Eles ameaçaram filmar o nosso momento de descontração e seguiram com piadas. Logo a seguir, um deles, o agressor, foi ao meu ouvido e soltou palavras ofensivas”, contou.

Inconformada com a situação, Neiara puxou a namorada do tumulto e foi tomar satisfações com um dos rapazes. Além de agressões verbais, a estudante relata que foi jogada pelo jovem para cima de uma mesa e agredida com murros e tapas. No desespero, a companheira da vítima tentou defender a namorada e também foi jogada sobre a mesa, sendo agredida até a chegada dos amigos que as acompanhavam. A estudante de arquitetura sofreu diversos arranhões. Diante da cena assustadora, as jovens solicitaram o apoio da Polícia Militar, que chegou ao local após a fuga do agressor e do grupo que o acompanhava na festa. Apesar das diligências realizadas no local, os suspeitos não foram encontrados. Elas foram aconselhadas a registrar boletim de ocorrência, mas até a tarde de ontem não haviam feito o B.O.

“Não sei se faremos o Boletim de Ocorrência, mas o importante é que esse caso seja registrado pela imprensa para que uma situação homofóbica não aconteça novamente”, desabafou Neiara. O agressor, que não teve a identidade confirmada, foi procurado pelas vítimas e por seus amigos nas páginas de rede sociais, mas ainda não foi localizado. 

Fonte: Correio Braziliense e Diário de Natal

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *