Gays suspendem doações ao Partido Democrata nos EUA

Os eleitores gays, decepcionados com o presidente norte-americano, Barack Obama, por ele não ter acabado com a proibição de gays nas forças armadas americanas, reduziram o apoio financeiro dado aos Democratas, para as próximas eleições, mas dificilmente os abandonarão na hora de votar, na próxima terça-feira.
Um dos grupos mais abastados e ativos da base Democrata, os eleitores gays dizem que eles não receberam nada em troca das décadas de lealdade ao partido, mesmo depois de dois anos de liderança democrata tanto na Casa Branca, quanto no Congresso.
“Votamos a favor dos democratas. Demos-lhes a Casa Branca e o Senado e o que recebemos em troca?”, disse John Aravosis, editor do blog de esquerda, AMERICAblog.
A desilusão da comunidade gay com Obama e seu partido é palpável. Obama, que recebeu enorme apoio dos gays nas eleições de 2008, diz que apóia o fim da proibição que não permite que gays que sirvam às Forças Armadas, falem abertamente da sua condição. Mas o seu governo está questionando as tentativas de um juiz federal, de por um fim à proibição, dizendo que cabe ao Congresso fazer isso e não aos tribunais.
Além de banir o “Não pergunte, não conte” os eleitores gays esperavam que os Democratas usassem seu poder para aprovar uma lei que tornaria ilegal a discriminação contra os trabalhadores, baseada na orientação sexual e que revogassem uma lei de 1996 que define que o casamento se dá apenas entre um homem e uma mulher.
Sem ter alcançado nenhum desses objetivos, o grupo de direitos dos gays GetEQUAL começou no mês passado a pressionar os gays para que parassem de fazer doações ao Comitê Nacional dos Democratas e para outros grupos do partido. O AMERICABlog também teve a mesma iniciativa.
Esses ativistas esperam mandar um recado aos Democratas, que dependem das doações dos eleitores gays, mais até do que dos seus votos.
“Simplesmente não existem suficientes gays e lésbicas para torná-los politicamente poderosos”, exceto quando a eleição está muito apertada, disse Gary Segura, professor da Universidade de Stanford.
“A importância do apoio dos gays e lésbicas é mais financeiro do que outra coisa”, ele continuou.
As pesquisas mostram que o descontentamento do povo com Obama e a economia ainda em crise provavelmente ajudará os Republicanos a recuperar o controle da Câmara dos Deputados e a tirar a maioria do partido Democrata, no Senado, nas eleições de terça-feira.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *