Dicas de cinema para o final de semana em Porto Alegre

A partir de 1º de fevereiro, com o apoio da Cinemateca da Embaixada da França, o CineBancários abre espaço na sua programação para uma mostra dedicada à produção documental francesa, ainda pouco conhecida no Brasil, apesar da sua enorme qualidade. Intitulada Retratos Franceses, a mostra reúne quatro documentários recentes, três deles inéditos no Brasil: “De Volta à Normandia” (2007), “Claude Lévi-Strauss por Ele Mesmo” (2008), “O Nome Dela é Sabine” (2007) e “Eu Quero Tudo da Vida” (2008).
Todos os títulos giram em torno de temas de grande interesse e repercussão, sendo especialmente atraentes para o público universitário.

De Volta à Normandia, de Nicolas Philibert (diretor de Ser e Ter, documentário sobre educação infantil que conheceu enorme êxito internacional), aborda um caso de assassinato descrito pelo filósofo Michel Foucault num de seus livros mais conhecidos, Eu, Pierre Rivière, que Degolei Minha Mãe, Minha Irmã e Meu Irmão. O clássico ensaio feminista O Segundo Sexo, de Simone de Beauvoir, é objeto do documentário Eu Quero Tudo da Vida, de Pascale Fautrier. O autismo foi o tema escolhido pela atriz Sandrine Bonnaire para sua elogiada estreia na direção no autobiográfico O Nome Dela é Sabine (que é o único dos quatro títulos já lançados no Brasil), no qual ela relata o impacto provocado pela doença da irmã Sabine em sua família. Finalmente, em Claude Lévi-Strauss Por Ele Mesmo a dupla de diretores Annie Chevallay e Pierre-André Boutang faz um detalhado perfil do grande antropólogo francês morto em 2009.
A mostra Retratos Franceses permanece em cartaz no CineBancários até o dia 13 de fevereiro, em três sessões diárias, 15h, 17h e 19h.

Para acessar a sinopse dos filmes clique aqui.

Serviço:
Semana de 1º a 6 de fevereiro de 2011
Terça-feira (1º de fevereiro)
15h – De Volta à Normandia
17h – Claude Lévi-Strauss Por Ele Mesmo
19h – O Nome Dela é Sabine

Quarta-feira (2 de fevereiro)
15h – Eu Quero Tudo da Vida
17h – De Volta à Normandia
19h – Claude Lévi-Strauss Por Ele Mesmo

Quinta-feira (3 de fevereiro)
15h – O Nome Dela é Sabine
17h – Eu Quero Tudo da Vida
19h – De Volta à Normandia

Sexta-feira (4 de fevereiro)
15h – Claude Lévi-Strauss por Ele Mesmo
17h – O Nome Dela é Sabine
19h – Eu Quero Tudo da Vida

Sábado (5 de fevereiro)
15h – De Volta à Normandia
17h – Claude Lévi-Strauss por Ele Mesmo
19h – O Nome Dela é Sabine

Domingo (6 de fevereiro)
15h – Eu Quero Tudo da Vida
17h – De Volta à Normandia
19h – Claude Lévi-Strauss por Ele Mesmo

Semana de 8 a 13 de fevereiro de 2011
Terça-feira (8 de fevereiro)
15h – De Volta à Normandia
17h – Claude Lévi-Strauss Por Ele Mesmo
19h – O Nome Dela é Sabine

Quarta-feira (9 de fevereiro)
15h – Eu Quero Tudo da Vida
17h – De Volta à Normandia
19h – Claude Lévi-Strauss Por Ele Mesmo

Quinta-feira (10 de fevereiro)
15h – O Nome Dela é Sabine
17h – Eu Quero Tudo da Vida
19h – De Volta à Normandia

Sexta-feira (11 de fevereiro)
15h – Claude Lévi-Strauss por Ele Mesmo
17h – O Nome Dela é Sabine
19h – Eu Quero Tudo da Vida

Sábado (12 de fevereiro)
15h – De Volta à Normandia
17h – Claude Lévi-Strauss por Ele Mesmo
19h – O Nome Dela é Sabine

Domingo (13 de fevereiro)
15h – Eu Quero Tudo da Vida
17h – De Volta à Normandia
19h – Claude Lévi-Strauss por Ele Mesmo

Também este final de semana seguem em cartaz em Porto Alegre os filmes “Minhas mães e meu pai”, onde Nic (Anette Benning), Jules (Julianne Moore), Joni (Mia Wasikowska) e Laser (Josh Hutcherson) são os integrantes de uma família harmoniosa. Nic e Jules são casadas e dividem uma casa na Califórnia, onde criaram seus filhos, agora adolescentes, Joni e Laser – frutos de técnicas de inseminação artificial, o que permitiu que cada uma das mães gerasse uma criança.

As relações familiares, porém, são viradas de cabeça para baixo quando os jovens resolvem ir atrás de seu pai biológico, Paul (Mark Ruffalo), que logo começa a participar do cotidiano da casa. O que parecia ser complicado fica ainda pior quando Jules se envolve com Paul, estremecendo o relacionamento duradouro que mantinha com a parceira.

Minhas Mães e Meu Pai teve orçamento de US$ 10 milhões e ganhou o Teddy Bear na categoria melhor filme com temática LGBT do Festival de Berlim deste ano, além de considerado um dos grandes sucessos do Festival de Sundance. Uma curiosidade é que o título original do filme, “The Kids Are Alright”, é baseado na música homônima do grupo de rock inglês “The Who”.

E o premiado “Eu Matei Minha Mãe” que se trata de um filme semi-autobiográfico, escrito por Xavier Dolan quando tinha apenas 16 anos e precisava externar seus sentimentos. Dolan também participa do filme como protagonista, no papel de Hubert Minel e estreia como diretor aos 19 anos. 

O filme retrata o relacionamento conflituoso entre Hubert, um jovem homossexual e impetuoso de 17 anos, e sua mãe, uma mulher de meia idade, divorciada, que criou o filho sozinha. Ele não aprova o jeito como ela se veste, seu comportamento e as coisas que faz. Ela, por sua vez, não conhece Hubert e a vida que o garoto leva. Com uma linguagem contemporânea, o longa transmite como pode ser delicada e intensa a relação entre mãe e filho, intercalando momentos de forte cumplicidade e distanciamentos dramáticos.

Vencedor de três categorias no Festival de Cannes de 2009, o drama gay foi exibido nos Festivais Internacionais de Cinema de São Paulo e Rio de Janeiro.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *