Cultura e Arte LGBT na pauta das políticas públicas

Foto: Giowana Cambrone

Foto: Giowana Cambrone

De 05 a 08 de junho, a cidade de Niterói, no Rio de Janeiro, sediou a primeira edição do Encontro Nacional de Arte e Cultura LGBT. Organizado através de uma parceria entre o Ministério da Cultura (MinC) e Prefeitura de Niterói, o evento reuniu diversos artistas, pesquisadores e militantes com atuação na área de Arte e Cultura LGBT com o objetivo de visibilizar um panorama da produção artística e cultural representativa e produtora de significados para sujeitos lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. Para além da mostra de linguagens artísticas, o evento concentrou-se na realização de debates e rodas de conversa sobre questões estéticas e políticas relacionadas ao segmento cultural LGBT, a fim de subsidiar o desenvolvimento de programas, ações e projetos culturais voltados a esta população no Brasil.

Os debates realizados na sexta e no sábado centralizaram-se nos temas de memória, comunicação, transversalidades e conceituação e práticas artísticas e culturais LGBT. O SOMOS, através da participação de Sandro Ka, apresentou parte dos resultados da pesquisa Mapeamento Cultural LGBT, realizada desde 2011 pela instituição. Entre as contribuições levantadas pelo pesquisador, a análise do levantamento realizado em 17 capitais brasileiras apontou para aproximações intrínsecas de arte e vida nestas produções fortemente marcada por exclusões, o que também reflete em dificuldades de circulação e apoios financeiros, bem como numa baixa valorização no mercado de trabalho. Em nova fase, o projeto prepara-se para transformar-se num catálogo online destacando os/as artistas, espaços culturais e de sociabilidade, eventos e personalidades mapeados.

Foto: Cultura Niterói

Entre o time de debatedores/as, o evento contou com a participação da pesquisadora e historiadora Rita Colaço (Site Memória/História MHB-MLGBT), do deputado federal Jean Wyllys, da cantora Verónica Valenttino (Verónica Decide Morrer e Coletivos As Travestidas) e do ator e diretor teatral César Almeida (Cia Teatral Rainha de Duas Cabeças), Roberta Salles (jornalista,  antigo vlog Dedilhadas) e Marcos Rocha (Fábrica de Imagens), entre outros/as.

Entre as atrações artísticas e culturais, o evento contou com a realização do concurso MissTransex Niterói 2014, a exposição Figurinos In Drag, com curadoria de Almir França e exibição de figurinos de importantes drag queens e artistas transformistas fluminenses, mostra de Transformismo, exposições de Artes Visuais e performances, bem como com a divulgação e venda de livros com abordagem a cultura LGBT e as atrações musicais Ellen Oléria e Escola de Samba Unidos do Viradouro.

Ao final, organizados em plenária os/as participantes elegeram algumas propostas de encaminhamento voltadas ao Ministério da Cultura, como subsídio de trabalho para o Comitê Técnico de Cultura LGBT, como  a criação de uma rede de artistas, pesquisadores e grupos militantes, ampliação e facilitação de acessos a recursos públicos de incentivo à produção artística e cultural LGBT, além da ampliação da visibilidade desta população nesta esfera.  Como atividade de encerramento, o evento culminou na 10ª edição da Parada do Orgulho LGBT, realizada no dia 08, na Praia de Icaraí. Referência: Cultura Niterói

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *