Cientista propõem novo tratamento para aids, mais fácil de administrar

Doutor David Ho

O doutor David Ho, que atua como cientista do centro Aaron Diamond de pesquisa da Aids de Nova York propôs um novo tratamento mensal contra a doença que seria menos nocivo e mais fácil de acompanhar que a atual medicação diária.  Ele pretende desenvolver moléculas que atuem como anticorpos e que possam ser administradas aos pacientes uma vez ao mês.

A proposta científica rendeu um prêmio de vanguarda 2011 do Instituto Nacional sobre o Abuso de Drogas (Nida), segundo informou na última sexta-feira, 12 de agosto, a entidade em comunicado. Um dos erros que apresenta o atual tratamento contra a aids, segundo o NIDA, é que um bom número de pacientes, sobretudo os dependentes químicos, não consegue acompanhar a dosagem diária da medicação, por isso que esta perde seu efeito.

“Os anticorpos que proponho não só são bem tolerados pelo organismo, mas têm um excelente histórico de segurança. Além disso, são administrados de maneira pouco frequente porque têm uma vida média (tempo de permanência no organismo após ser ingeridos) superior à das pequenas moléculas do tratamento atual”, explicou Ho.

A diretora do Nida, Nora D.Volkow, afirmou que a proposta de Ho tem potencial para fazer com que o tratamento da aids seja menos nocivo para o paciente. Ho foi além na sua avaliação e previu que “esta pode ser a nova geração de medicação contra a aids”.

Da redação, com informações da agência EFE

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *