Artista cearense Silvero Pereira encena monólogo “Uma Flor de Dama” pela primeira vez no RS

umaflordedamaO artista cearense Silvero Pereira traz seu espetáculo Uma Flor de Dama pela primeira vez ao Rio Grande do Sul. A peça fica em cartaz de 16 a 18 de abril, na Sala Carlos Carvalho da Casa de Cultura Mario Quintana.

Construído a partir do conto “A Dama da Noite”, de Caio Fernando Abreu, do livro “Engenharia Erótica”, de Hugo Denizart, e de pesquisas e entrevistas que Pereira realizou com travestis cearenses ao longo de oito anos, o monólogo procura compreender o universo marginalizado das travestis que, muitas vezes, deixam seus lares devido à não-aceitação da família e, sem estudos e experiência profissional, acabam na prostituição. Uma Flor de Dama questiona de que forma nossa sociedade, discriminatória e fechada, colabora para isso, e que mudanças nos mecanismos políticos, educacionais e sociais são necessárias para resolver essa situação.

Durante o monólogo, Pereira convida a plateia a conhecer a realidade de uma travesti – sua rotina, seus objetivos, seus sonhos, seus amores, seus prazeres -, fugindo do olhar preconceituoso da sociedade, e questionar assuntos como o estigma da aids, política, preconceito e escolhas.

O espetáculo, que estreou em 2005, já teve mais de 250 apresentações em diversos estados brasileiros e já recebeu 25 prêmios, sendo seis como melhor ator e incluindo o Prêmio Cultural LGBT da Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura, em 2009.

Silvero Pereira é um ator, diretor e artista plástico formado em Tecnologia de Artes Cênicas pelo Centro Federal de Educação Tecnológica do Ceará (CEFET-CE). Iniciou a carreira no teatro em 1998, como parte do elenco fixo da Cia Dionisyos de Teatro, dirigida por Paulo Ess em Fortaleza. Em 2000, fundou o Grupo Parque de Teatro, por meio do qual ainda hoje realiza trabalhos sociais e voluntários com crianças e jovens, usando a arte como mecanismo educacional e social. O Grupo já recebeu cerca de 40 prêmios em festivais no Ceará.

Ele fundou também o Coletivo As Travestidas que, composto por artistas cearenses de diversas áreas, tem o objetivo de questionar a posição das pessoas trans na sociedade, contribuindo para a quebra de preconceitos e estereótipos. O grupo já realizou quatro espetáculos teatrais (Uma Flor de Dama é um deles), seis curtas-metragens e duas edições do Translendário, calendário que traz travestis representando imagens icônicas. Além disso, o Coletivo originou a banda Verónica Decide Morrer e organizou a Transvirada Cultural, que trouxe 12h de apresentações de arte LGBTTT, sendo o primeiro evento do tipo no Brasil.

Pereira está atualmente em Porto Alegre vivenciando uma residência artística para a realização do projeto BR Trans, contemplado com a Bolsa Interações Estéticas. Esta iniciativa da Fundação Nacional das Artes (Funarte) apoia projetos de diferentes segmentos artísticos por meio do intercâmbio cultural entre artistas das diversas regiões do Brasil e a rede de Pontos de Cultura. Pereira escolheu como Ponto de residência a ONG SOMOS – Comunicação, Saúde e Sexualidade. O trabalho será realizado ao longo deste semestre.

SERVIÇO
Uma Flor de Dama

Direção e atuação: Silvero Pereira
Produção: Coletivo As Travestidas
Dias 16,17 e 18 de abril, às 20h
Local: Sala Carlos Carvalho, Casa de Cultura Mario Quintana (R. dos Andradas, 736 – Centro, Porto Alegre)
Ingressos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (estudantes e pessoas maiores de 60 anos)
Para mais informações, ligue para o SOMOS de segunda a sexta, das 14h às 18h: (51) 3233 8423

dama2

Da Redação

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *