Análise de censo da Igreja Católica nega avanço do secularismo no Brasil

Média do crescimento anual das paróquias

A criação de dioceses e paróquias e o aumento no número de padres e de diáconos mostram uma expansão da Igreja Católica, refutando, assim, as pesquisas que sugerem o avanço do secularismo e ateísmo no Brasil. Essa é a análise que o sociólogo e padre José Carlos Pereira faz do censo de 2010 da Igreja Católica cujos dados acabam de ser divulgados.

O censo foi feito pelo Ceris (Centro de Estatísticas e Religiosas e Investigações Sociais), que é um instituto ligado à CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil).

Pelos dados colhidos pelo Ceris, o número de paróquias cresceu de 10.218 em 2008 para 10.720 em 2010, com o acréscimo, portanto, de 4,91%. Na comparação entre os mesmos períodos, o número de sacerdotes (brasileiros e estrangeiros) cresceu 7,58% (de 20.561 para 22.119).

Pereira disse não ter elementos para concluir se o aumento de paróquias se deve ao crescimento no número de fiéis ou se os fiéis evoluíram por causa da expansão na quantidade de paróquias.

De qualquer forma, segundo ele, esses e outros números do censo da Igreja Católica mostram que “os teóricos da secularização” estão errados quando dizem que “a religião está fadada ao fracasso”.

“[…] O catolicismo ainda é a religião da maioria do povo brasileiro, como revelou o último censo do IBGE”, escreveu. “Nem a modernidade e o avanço do pentecostalismo e do ateísmo conseguiram enfraquecer o catolicismo.”

A análise de Pereira se confronta com os dados do Novo Mapa das Religiões, que é um levantamento feito pelo economista Marcelo Néri, da Fundação Getúlio Vargas.

Por esse mapa, o número de católicos caiu para 68% do total da população no período de 2003 a 2009, em seu mais baixo nível desde 1872. No mesmo período houve expansão de 20,2% na parcela de evangélicos.

O índice de pessoas com menos de 20 anos que dizem não seguir nenhuma religião foi de 9%. Como esse índice cresceu três vezes mais rápido do que entre as pessoas com mais de 50 anos, a conclusão de John L. Allen Jr., do National Catholic Reporter, um site conservador, foi de que o Brasil caminha, sim, para a secularização.

Fonte: Paulo Lopes

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *