82 casamentos e um funeral na Argentina

Com a lei que permite a união entre pessoas do mesmo sexo vigorando há um mês, a Argentina já celebrou 82 casamentos homossexuais até o momento. A província de Buenos Aires, onde fica a capital, é responsável por mais de um terço deles, 32 ao todo.

Os gays se casam mais. 63 uniões homos foram entre homens, 17 entre mulheres e duas de gênero não confirmado. A média de idade entre esses casamentos é alta, de 54 anos para a capital Buenos Aires, e 50 anos para as províncias (os Estados) do país.

Néstor Berchot (à esquerda) e Adrián García no dia do casamento

Primeiro Viúvo
 
E a Argentina também já tem o primeiro viúvo gay. Um dos integrantes do casal gay que se casou oficialmente, no primeiro casamento homossexual no balneário de Mar Del Plata, na Argentina, morreu no último dia 14 de agosto, informou a Telam, agência estatal do governo argentino.
 
A Telam disse que Néstor Berchot, de 45 anos, teve um problema de pressão e passou mal durante a festa que o casal deu aos convidados e foi levado para o hospital, mas acabou morrendo de crise de hipertensão.
Mar Del Plata, que fica a 400 quilômetros de Buenos Aires, tem agora, seu primeiro viúvo gay do país. A Associação Marplatense pelos Direitos Humanos divulgou uma nota de pêsames ao viúvo Adrian.

Segundo a diretora da Associação Karina Freire, que estava na festa do casamento, ela saiu quando os noivos dançavam a valsa por volta das 2h no dia do casamento. “Era só felicidade. Eu fui embora logo que eles dançaram a valsa. Há poucos minutos me ligaram dando esta triste notícia. Não dá para acreditar”, disse.

O funeral – O corpo de Néstor Berchot foi velado durante o dia de hoje e cremado no Cemitério Parque. Além da imprensa local presente, a cerimônia fúnebre foi simples e contou com a presença de familiares e amigos.Segundo a irmã de Néstor, há coisas nesta vida que não se compreendem, mas diz que o irmão morreu em um momento muito feliz. Ela disse ainda que tanto a família como o viúvo Adrián receberam mensagens de solidariedade de várias pessoas, inclusive daqueles que eram contrários à legalização do casamento homossexual na Argentina, que teve a lei aprovada no último dia 17 de julho.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *