1º de abril, “desaniversário” do golpe militar

1º de abril, “desaniversário” do golpe militar.

É redundante escrever sobre o golpe, sua historicidade, consequências, dados, fofocas. A mídia está ocupando bem o espaço e usando de todos os meios para divulgar (e isso inclui os antigos parceiros da ditadura).

O problema é que o Brasil viveu um longo período sem voz.

Pessoas foram torturadas.

Milhares foram presos por protestar, por se manifestar contrariamente ao golpe.

E hoje não se pode beijar uma pessoa do mesmo sexo num ambiente público.

E hoje as mulheres têm suas atitudes vigiadas, sob pena de sofrerem com estupro ou violência.

E hoje não se pode manifestar mostrando o corpo.

E hoje tem bala de borracha e bomba com gás nas manifestações.

Pai, afasta de mim esse cálice.

Nos calaram. Nos calam.

50 anos se passaram.

Quantos gritos cabem num silêncio?  O que você faz com a sua voz?

Bernardo Dall’Olmo de
é Diretor jurídico do SOMOS.

GOLPE

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *