Mídias sociais podem ajudar jornalismo a acompanhar mudanças no uso da informação

Arianna Huffington

Fundadora do site The Huffington Post, a empresária norte-americana Arianna Huffington diz não acreditar em uma separação estanque entre a mídia tradicional e as mídias sociais. “Há algo que falta na mídia tradicional que nós podemos capturar nas mídias sociais: contar histórias. Estamos preocupados demais com dados. É muito mais difícil capturar leitores com dados do que com histórias.”

A empresária está em São Paulo e deu uma palestra no evento InfoTrends em que alertou que é preciso entender melhor como essa mudança altera o uso da informação. “Antes consumíamos as notícias no sofá. Agora fazemos isso galopando.” Em sua apresentação, fez outra crítica ao jornalismo: é preciso acompanhar mais uma mesma história. “Não é apenas publicar uma reportagem. É preciso continuar cobrindo.”

Arianna disse que as mídias sociais revolucionaram também a maneira como as empresas se relacionam com os consumidores. “Não pense no Twitter como um mapa da vida das pessoas, mas sim como um mapa da mente delas.” Ela citou o Huffington Post como exemplo de como aproveitar melhor as mídias sociais. “Nós não damos apenas informação ao leitor. Damos uma plataforma onde ele pode compartilhar seus pontos de vista e seus hobbies.”

O site Huffington Post dá acesso gratuito a seu conteúdo que seu origina, em grande parte de maneira voluntária, de blogueiros.

A viagem da empresária ao Brasil tem como objetivo encontrar um sócio para iniciar a operação local do grupo.

Fonte:  Folha de S.Paulo / O Estado de S. Paulo / Comunique-se)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *