Homofobia em Minas Gerais

O suspeito de ter matado um cabeleireiro nesta quinta-feira, 25 de agosto, em Alfenas, no Sul de Minas Gerais, confessou que mutilou o corpo da vítima. O garçom Fernando Alves, de 20 anos, disse que cometeu o crime por que Gilvan era homossexual e o assediava. Segundo ele, os dois se encontravam com frequência para fazer uso de drogas. As informações são da EPTV.

O cabeleireiro trabalhava em um salão da cidade. Ele foi morto e esquartejado dentro de casa, onde morava há quatro meses, no bairro Vila Formosa.

Durante a tarde, a polícia fez a reconstituição do crime na casa de Gilvan. Ativistas dos direitos dos homossexuais fizeram protestos contra a homofobia no local.

O corpo do cabeleireiro foi encontrado depois que uma vizinha que passava em frente à casa da vítima viu o sangue escorrendo da garagem e acionou a Polícia Militar. Ao chegar no local, os policiais viram o corpo de Gilvan Firmino Ferreira, de 25 anos, conhecido como Willians, caído no chão com o crânio amassado e ponta do nariz cortada.

Segundo a polícia, os vizinhos contaram que ouviram gritos vindos da casa por volta de 4h. A suspeita é de que o assassino era conhecido da vítima. O principal suspeito, Fernando Alves, de 20 anos, foi preso e levado para a Delegacia de Alfenas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *