Em reality cult "Art Idol" vencer não é o mais importante

Em “Art Idol”, o cover de “American Idol” com performances, vencer não é o mais importante.

“Esse trabalho funciona como uma colaboração real. Vamos realizar as performances históricas e ouvir a avaliação do júri; é uma obra que tem vários níveis, por isso ganhar não é o fundamental”, diz a israelense Aya Eliav.

Curiosamente, Eliav, 34, que idealizou o projeto com Ofir Feldman, é uma artista que, até este novo momento, havia sempre trabalhado com os pincéis.

Orlan transformou seu corpo numa máquina de caça-níqueis

Amiga de Feldman, 34, há vários anos, eles pensaram na obra, a primeira colaboração conjunta, para uma mostra em Veneza, na Itália, realizada em janeiro deste ano.

Naquela ocasião, ela foi a vencedora. O projeto, contudo, não foi concretizado na íntegra, pois não chegou a ser transmitido pela TV.

“O Ofir, que vive em Berlim desde 2000, tem de fato um trabalho com o corpo. Para mim, essa é uma situação nova”, afirmou Eliav, no seu ateliê, para jornalista da Folha de S.Paulo, com cheiro de tinta, em Tel Aviv. Juntos, eles escolheram cinco performances para o programa e pediram autorização aos seus criadores originais para reencená-las.

Apenas uma, “Antropometria Azul”, de Yves Klein (1928-1962), não recebeu autorização dos herdeiros do artista (veja as outras ao lado).

A inspiração em um programa tão popular como “American Idol” é uma estratégia deliberada: “Esse é um trabalho pensado para o grande público, mas que permite um diálogo com a crítica de arte”, diz Eliav.
Durante os 52 minutos que deve durar o programa, ele se revezarão na realização de cada performance. E juntos reencenarão “AAA AAA”, de Marina Abramovic e Ulay.

Além de “Art Idol”, o Videobrasil contará com outras quatro performances, três delas ocorrendo dentro do espaço expositivo.

No mesmo dia 2, o brasileiro Leandro Cardoso, às 16h e às 19h, na Sala de Espetáculos 1 do Sesc Belenzinho, irá apresentar “Arquivo Banana”. Nela o artista analisa exemplares da história da arte a partir de uma banana.

Em se falando de TV, vai ser o momento Chacrinha do festival.

SERVIÇO:
17º FESTIVAL INTERNACIONAL DE ARTE CONTEMPORÂNEA SESC VIDEOBRASIL – PANORAMAS DO SUL EM SÃO PAULO
ONDE Sesc Belenzinho (r. Padre Avelino, 1.000) São Paulo
QUANDO ter. a sex., das 9h às 22h; sáb., das 9h às 21h; dom., das 9h às 20h; de 30/9 a 29/1
QUANTO grátis

Fonte: Folha de S.Paulo

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *