Representantes da Comunidade LGBT visitam Secretaria da Cultura RS

Representantes da comunidade LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transsexuais) foram recebidos em audiência na ultima quinta-feira (14) na Secretaria de Estado da Cultura. O encontro teve como objetivo escutar e buscar acolher as expectativas e demandas da comunidade LGBT. Também foi realizada a apresentação institucional da Sedac, de suas diretrizes programáticas e da Conferência Cultura para o Rio Grande Crescer. Estiveram presentes Somos – Comunicação, Saúde e Sexualidade, Nuances – grupo pela livre expressão sexual e LBL (Liga Brasileira de Lésbicas).

O secretário Assis Brasil deu as boas vindas ao grupo falando sobre a importância da conferência. “É um evento inédito, nunca se teve um espaço tão amplo como este para manifestação social na cultura do Rio Grande do Sul. Esperamos delinear uma visão mais múltipla da realidade cultural do estado”, disse o secretário.

No segundo momento a reunião foi conduzida pelo diretor de Cidadania Cultural Marcelo Azevedo, com participação da coordenadora de Diversidade Cultural Lana Campos, do coordenador dos Pontos de Cultura, João Pontes, e das Culturas Populares, Sandro Santos, encaminhando a participação dos representantes na conferência Cultura para o Rio Grande Crescer, que será realizada dias 29 e 30, em Santa Maria.

Segundo Célio Golin, representante do Nuances, “a iniciativa é extremamente importante. Mostra que a Secretaria da Cultura está comprometida em tratar da cultura em seu sentido mais amplo, não apenas restrita à arte. Entendemos a luta da diversidade sexual como uma ação política, através da qual inúmeras relações sociais são desconstruídas”. Sandro Ka, representante do Somos, complementa: “as Paradas possuem valor político e estético.”

O encontro apontou uma série de possíveis programas, projetos e ações que promovam a diversidade sexual da sociedade do estado, desmistificando a idéia de uma única identidade gaúcha, o que contribui para a invisibilidade de inúmeros segmentos sociais. Pretende-se avançar na construção de uma sociedade que tenha no compartilhamento das diferentes formas de ver, pensar e agir no mundo a sua riqueza fundamental, sem a reprodução de guetos culturais.

Texto: Cláudia Antunes

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *