Mulheres brasileiras assumem protagonismo no Mundial de Judô

O 28º Campeonato Mundial de Judô começou ontem, 23 de agosto, em Paris, com um panorama inédito para a seleção brasileira. Pela primeira vez, as mulheres entram em uma competição com as mesmas expectativas dos homens. “Conciliamos o talento das garotas com a ótima estrutura proporcionada.

Com isso, posso dizer que temos a melhor equipe feminina da história”, disse Rosicléia Campos, técnica da equipe brasileira, que será representada por oito mulheres, com destaque para a peso ligeiro Sarah Menezes (48 quilos) e a meio-pesado Mayra Aguiar (78 quilos).

Rosicléia, que está no comando da seleção desde 2005, se orgulha de ter ajudado o Brasil a conquistar sua primeira medalha olímpica em 2008, com Ketleyn Quadros. “Meu objetivo agora é o primeiro ouro em Mundial”, disse a treinadora, que ano passado festejou a prata de Mayra Aguiar, no Mundial do Japão.

“O feminino cresceu muito. Tem a mesma base desde 2007, amadureceu, já está conseguindo bons resultados e vai, com certeza, colocar gente no pódio”, disse Luiz Shinohara, técnico do masculino, que tem em Tiago Camilo (peso médio) e Leandro Guilheiro (meio-médio) as grandes esperanças de medalha.

A piauiense Sarah Menezes (foto acima), de 21 anos, foi duas vezes campeã junior (2008 e 2009) e já soma duas boas colocações no Mundial Sênior: quinto lugar em 2009 e terceiro em 2010. “Se continuar pulando uma posição, fico com o título”, brincou a judoca, de apenas 1,54 metro, que entra no tatame hoje. Cabeça de chave, ela será a única representante feminina do Brasil. Só entra em ação na segunda rodada, quando vai pegar a vencedora entre a ucraniana Olha Sukha e a espanhola Oiana Blanco.

Da redação

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *