Três Irmãos de Sangue

33O Museu dos Direitos Humanos do Mercosul (Memorial do RS) apresenta hoje, dia 18,em Porto Alegre, o filme Três irmãos de sangue, de Ângela Patrícia Reiniger, que narra a vida de Betinho, Henfil e Chico Mário, importantes intelectuais e ativistas que tiveram suas lutas e desejos misturados à história política, social e cultural do Brasil na segunda metade do século xx.

O filme retrata a história desses três irmãos que contribuíram com as principais transformações do pais nesse período.Exilados durante a ditadura militar, cada um a sua maneira lutou para a volta da democracia no país, usando como armas campanhas contra a fome e miséria, expressões em manifestos e composições musicais contra a tortura. Uma história de brasileiros que fizeram da solidariedade a sua grande arma na luta pela vida e que ajudaram a tornar o Brasil um país mais justo e solidário.

Betinho, cientista social, exilado político, fundador da Campanha Contra a Fome e a Miséria e Pela Vida, que foi indicado em 1994 ao Prêmio Nobel da Paz; Henfil, cartunista que lutou pela volta dos exilados durante a ditadura militar e criou a expressão “Diretas Já” como forma de exigir a volta da democracia ao Brasil; e Chico Mário, músico pioneiro da questão da música independente e compositor de canções contra a tortura. Os irmãos definitivamente sabiam da importância da defesa dos direitos humanos e se esforçaram ao máximo para alcançar esse objetivo.

Hemofílicos, foram infectados pelo HIV através de transfusão de sangue. Isso os tornou um símbolo da luta contra a Aids no Brasil. O fato do país hoje ser visto como referência mundial no combate à Aids tem muito a ver com o pioneirismo deles em relação a essa causa. Para eles, a luta pela vida sempre esteve em primeiro lugar.

O filme, dirigido por Ângela Patrícia Reiniger, já foi exibido em diversos festivais, recebendo prêmios como Melhor Filme no 5º Cine Fest Petrobras Brasil, em Nova York, Melhor Roteiro no Festival de Goiânia e no Recine – Festival Internacional de Cinema de Arquivo, além de receber menção honrosa no Femina Fest, em julho de 2007.

Na abertura do filme será realizada uma apresentação musical com o filho de Chico Mário,Marcos Souza, ao lado de sua irmã a cantora, atriz e bailarina Karina Souza. A dupla forma a Cia Mano e Mana e apresentará músicas da trilha composta pelo biografado Chico Mário antes da sessão iniciar.

A sessão acontece no dia 18 de fevereiro, terça-feira, às 21h. A entrada é gratuita.
O Museu do Direitos Humanos do Mercosul/Memorial do Rio Grande do Sul fica na Rua Sete de Setembro, Praça da Alfândega-1020, Porto Alegre.

Fonte: release de divulgação e site do filme