Pesquisa aponta Rio de Janeiro como destino preferido do público LGBT

A Argentina pode ter aprovado o casamento entre pessoas do mesmo sexo, a cidade de São Paulo pode ter a maior infraestrutura hoteleira e de entretenimento do Brasil, mas nem estas duas megacidades juntas conseguem tirar do Rio de Janeiro o título de destino LGBT mais procurado na América do Sul e no mundo. Sol, praia, beleza natural e muita gente bonita, são alguns dos apelos que tornam a Cidade Maravilha irresistível. “O Rio de Janeiro é a capital cultural do Brasil, cidade conhecida internacionalmente pela tolerância. Gays e lésbicas se sentem bem e são bem recebidos aqui”, afirma Oswaldo Luiz, diretor Gay Travel Brazil, operadora especializada em turismo LGBT na capital fluminense.

Um levantamento do Ministério do Turismo, realizado em 2009, mostrou que um quarto dos três milhões de turistas internacionais que visitam o Rio de Janeiro anualmente é formado por lésbicas, gays, bissexuais e transexuais (LGBT). O estudo mostra ainda que 75% destes turistas são homens, com 20 e 35 anos de idade, gastam por dia, uma média de US$ 200 (heterossexuais gastam US$ 74) e ficam na cidade, em média, cinco dias. Entre os LGBTs brasileiros que mais visitam o Rio de Janeiro estão, em primeiro lugar os paulistas, em segundo os mineiros e em terceiro os baianos. Entre os estrangeiros, os norteamericanos ocupam a primeira posição, seguidos pelos britânicos e na terceira posição estão os sul africanos. A imagem da Cidade Maravilhosa sempre esteve em alta para a comunidade LGBT nacional e internacional. Para Jane Rodrigues, diretora regional da Associação Brasileira de Turismo LGBT (Abrat LGBT), nem mesmo a recente onda de violência que o Rio enfrentou, foi motivo para queda no fluxo turístico. “Podem ocupar ou desocupar morro que o turista tanto brasileiro quanto estrangeiro não deixa de visitar o Rio”, afirma a executiva.

Para Oswaldo Luiz, o turismo no Rio ganhou ainda maior força com os eventos esportivos que serão sediados nos próximos anos, como a Copa do Mundo, em 2014 e o Olimpíadas, em 2016. “Estes eventos não estão ligados diretamente ao público LGBT, mas contribuem muito para a divulgação do destino no mundo inteiro”, avalia. Além de suas belezas naturais e uma famosa vida noturna, o Rio também atrai pelos preços. De acordo com Luiz, é possível encontrar pacotes tanto para o Rio quanto para cidades vizinhas, por menos de R$ 1.000. A cidade também conta com redes de hotéis econômicos e de boa qualidade, cuja diária para três pessoas, sai por R$ 100. “No Rio há pacotes para todos os bolsos, desde os bem econômicos aos mais caros”, explica o operador. Em Campinas, os pacotes LGBT para a capital fluminense também não ultrapassam os R$ 1.000. A Liberté, operadora local que atende a comunidade LGBT, dispõe de pacotes com aéreo e terrestre a partir de 890,00, incluindo passagem aérea ida e volta, hospedagem em hotel 3 estrelas em Copacabana, traslados de chegada e saída e roteiro LGBT pela cidade.

Por Eduardo Gregori, Correio Popular

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *