Pesquisa aponta Porto Alegre como líder no ranking de mais fumantes e mostra que no país o abuso de álcool cresce

Pesquisa do Ministério da Saúde também aponta aumento nos índices de obersidade

Os brasileiros estão bebendo mais, ficando mais gordos e fumando menos, com exceção de Porto Alegre.
As três conclusões estão em pesquisa do Ministério da Saúde, realizada em todas as capitais do país por telefone. Foram 54 mil entrevistas.

Em 2009, a proporção de adultos com excesso de peso alcançou quase a metade da população: 46,6%. Em 2006, esse percentual era de 42,7%.

O aumento é atribuído pelo governo ao crescimento do número de sedentários e a mudanças no padrão alimentar, com maior consumo de comidas industrializadas.

O problema é mais frequente entre os homens (51%) do que entre as mulheres (42,3%). A capital com mais gordinhos é Rio Branco (52,2%), seguida por Campo Grande (50,8%) e São Paulo (50,5%). O Distrito Federal tem a melhor posição, com 36,2% das pessoas acima do peso.

A obesidade -quadro mais grave do excesso de peso- também cresceu e atinge 13,9% dos brasileiros. Em 2006, a taxa era de 11,4%.

A pesquisa do ministério utilizou como parâmetro o IMC (Índice de Massa Corporal), que é calculado a partir da divisão do peso pela altura elevada ao quadrado. Quando o resultado foi maior do que 25, foi identificado excesso de peso. Quando foi maior do que 30, a classificação é obesidade.

Em relação ao consumo de álcool, a pesquisa constatou que a proporção de brasileiros que abusam da bebida cresceu de 16,2%, em 2006, para 18,9% em 2009.

O ministério colocou nessa categoria quem bebeu em uma mesma ocasião, no mês anterior à pesquisa, cinco ou mais doses de álcool para os homens ou quatro ou mais doses para as mulheres. A capital em que mais gente consome álcool em excesso é Salvador (25,6%).

No caso dos fumantes, a pesquisa revelou que, de 2006 a 2009, o percentual de pessoas com o problema caiu de 16,2% para 15,5%, consolidando uma tendência que vem desde a década de 1990. A capital com mais fumantes é Porto Alegre, onde 22,5% da população tem o hábito.

Fonte: Folha de S. Paulo

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *