Adolescentes ganham prêmio ao criar camisinha que muda de cor ao detectar DST

site3

Daanyaal Ali e Chirag Shah, de 14 anos, juntamente de Muaz Nawaz, de 13, não têm idade suficiente para saber muito sobre sexo mas inventaram algo que pode mudar a forma com que pensamos sobre saúde sexual. Eles criaram um projeto de camisinha que muda de cor ao detectar uma Doença Sexualmente Transmissível (DST). Além de tudo, as cores aparecem de forma diferente dependendo da bactéria ou da infecção presente.

Assim, o preservativo pode brilhar verde para clamídia, amarelo para herpes, roxo na presença do papilomavírus humano e azul para a sífilis, explicou os designers.

O projeto, chamado S.T.EYE, rendeu aos jovens o prêmio Teen Tech Awards, mil euros para desenvolver o produto e uma visita ao Palácio de Buckingham, em Londres.

“Criamos o S.T.EYE como uma nova forma para a detecção das DSTs para ajudar no futuro da próxima geração. Nós queríamos fazer algo que detectasse as DSTs nocivas da maneira mais segura do que nunca,” disse Daanyaal Ali.

A ideia por trás do projetos é que as pessoas tenham consciência da doença  antes de precisarem ir ao médico — não que a camisinha exclua a necessidade da visita, mas ela aumenta a probabilidade de um exame ser feito.

“Nós incentivamos os alunos a levarem suas ideias para fora da sala de aula, colocando-os cara-a-cara com os profissionais do setor, ajudando-os a abrirem os olhos para o verdadeiro potencial de suas idéias”, afirmou Maggie Philbin, fundador e CEO da TeenTech.

Apesar de ainda ser um conceito, os alunos esperam que seja possível transformar a ideia em uma realidade no futuro.

O S.T.EYE conquistou o primeiro prêmio da categoria saúde, no final das premiações Teen Tech, que se destinam a promover a ciência, engenharia e tecnologia nas escolas.

Fonte: http://agenciaaids.com.br/