ABIA vê com cautela recomendação da OMS para uso de antirretrovirais entre homens que fazem sexo com homens

ABIA-4-imagesAssociação Brasileira Interdisciplinar de AIDS (ABIA) recebe com bastante cautela a nova diretriz da Organização Mundial de Saúde (OMS) – que recomenda que os homens que fazem sexo com homens (HSH) considerem a adoção de medicamentos antirretrovirais para prevenção à infecção pelo HIV.

Para a Associação, ainda que a recomendação seja relevante para a ampliação de tecnologias e técnicas de prevenção, há necessidade de um análise mais profunda, a fim de não estimular a retomada de processos de estigmatização, trazendo a tona a ideia de grupo de risco.

Segundo a nota, se reconhece a vulnerabilidade à epidemia ampliada entre a população homossexual, em especial a juventude. Entretanto, agregar esses sujeitos num mesmo grupo, com práticas e comportamentos homogêneos e afirmar que há uma “explosão” da epidemia na população HSH leva  à criação de um pânico moral, reproduzindo a ideia de grupo de risco e distorcendo as diferenças sociais dessas subpopulações. É preciso considerar o fato que esses grupos podem ter taxas de infecção diferentes e, portanto, devem ser observados segundo suas especificidades.

A associação sugere que as estratégias de prevenção necessitam ocorrer no/para/com o social e devem ser adaptadas às diversidades e demandas dos sujeitos, a fim de identificar e produzir suas próprias formas de prevenção e que a medida, ainda fortalece o diálogo sem reflexão crítica com o poder da indústria farmacêutica.

Veja a nota na íntegra, no site da ABIA.

Da redação