89% dos rapazes héteros em universidades inglesas já beijaram na boca um de seus colegas

O site francês Têtu publicou um dado no mínimo curioso: 89% dos rapazes héteros em universidades inglesas já beijaram na boca um de seus colegas, e 37% já tiveram um “beijo prolongado”. Mesmo assim, eles não consideram que esse gesto seja sexualmente motivado: segundo os estudantes, trata-se de uma demonstração de amizade.

Para o pesquisador Eric Anderson, que realizou a pesquisa, isso significa que o estereótipo de homem rude, mesquinho e homofóbico dos anos oitenta está morto. “Estes jovens perderam sua homofobia. Eles não têm mais medo de ser considerados como gay por causa de seu comportamento, e portanto eles não escondem sua intimidade com seus amigos, como as garotas”, afirma.
Ele explica que as garotas heterossexuais inglesas, como as americanas, já adotaram esse pequeno “jogo” depois de um momento. Algumas se beijam em sinal de amizade ou mesmo para satisfazer os fetiches lésbicos de seus companheiros. Agora, são os rapazes que se beijam para o divertimento das garotas, se acreditarmos em algumas respostas da pesquisa.

Segundo Anderson, essa mudança no comportamento dos jovens Ingleses teria começado nos campos de futebol, um endereço que não é geralmente considerado como o mais gay-friendly. O pesquisador salienta que os jogadores de futebol profissionais festejam seus gols com abraços cada vez mais exuberantes no curso dos últimos anos (na foto os jogadores Paul Scholes e Gary Neville do Manchester United). Um fenômeno que se reproduziu nos campos de futebol das universidades com os estudantes, que levaram a moda às boates, às noitadas e aos bares. As estatísticas parecem confirmar seu argumento: entre aqueles que participaram da sondagem, 95% dos estudantes que jogaram um esporte haviam beijado um outro homem, contra 80% entre aqueles que não praticaram atividades esportivas.

Agora, o que essa pesquisa traz de interessante para os homossexuais? Para Eric Anderson, o fenômeno poderá deixar os homos mais tranqüilos:. “[Essa tendência] faz com que os homens sintam-se mais confortávais ao beijar-se em público”, explica-ele. “Por vezes você vê dois homens se beijarem e você não sabe se eles são heteros ou homos”.

Nosso comentário:
É importante notar que este estudo foi feito apenas entre jovens universitários e, mesmo em um país com altos índices de educação e desenvolvimento econômico, crimes motivados por homofobia continuam ocorrendo. As coisas não são tão “cor-de-rosa” assim, mas não deixa de ser interessante imaginar que daqui algum tempo as pessoas se tornarão mais receptivas às demonstrações de afeto. 😉

One thought on “89% dos rapazes héteros em universidades inglesas já beijaram na boca um de seus colegas

  1. A bissexualidade parece ser o caminho indeclinavel na resolução. de boa Parcela dos conflitos existenciais!!!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *