Manifestação contra a homofobia na Austrália termina em violência

Uma manifestação LGBT contra a homofobia em Adelaide, na Austrália terminou em violência depois de manifestantes cristãos terem tentado impedi-la.

Cerca de 200 pessoas reuniram-se diante do parlamento numa manifestação de apoio ao Dia Internacional Contra a Homofobia. Os problemas começaram quando membros da Adelaide Street Church tentaram acabar com a manifestação.

Segundo o organizador da manifestação, Jason Virgo, uma mulher foi empurrada caindo da sua cadeira de rodas e a polícia teve que ser chamada.

Virgo disse que “apareceu um pequeno número de cristãos de extrema-direita e começaram a agitar as bandeiras e meterem-se com as pessoas, gritando bem alto, alguns deles passaram a luta física”.

Segundo Virgo alguns tinham placas dizendo “Deus odeia os pecadores”, para ele nenhum sinal deve conter a frase “Deus odeia”.

Também recordou que as pessoas que estavam na manifestação nunca iria a uma igreja perturbar a vida de quem lá andasse da forma “homofóbica e desrespeitosa” como fizeram os contra-manifestantes cristãos.

Já um porta-voz da Street Church disse que os pregadores são atacados e prejudicados por proclamar sua mensagem cristã. “Estamos apenas a pregar a Bíblia, estamos a citar a Bíblia que diz que a homossexualidade é um pecado”, disse Damien Gloury.

Segundo ele a ideia era sair e não perturbar ninguém “porque amamos toda a gente”, e defendeu que pode parecer que estavam a condenando as pessoas, mas ele diz que estavam “apenas pregando a Bíblia”.

A policia revelou que uma pessoa foi removida do local por perturbação da paz pública, mas não foi feita nenhuma prisão.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *