Evento "Diversidade na Cultura" tem início com mesa sobre gays e lésbicas na blogosfera

Teve início nesta quinta-feira (23) o evento “Diversidade na Cultura”, promovido pela Livraria Cultura, editora Brejeira Malagueta, site e revista A Capae Baobá Comunicação. A mesa de abertura discutiu o papel e a importância dos blogs nos dias de hoje, quando as redes sociais começam a ganhar cada vez mais espaço.

Com o título “Gays e Lésbicas na Blogosfera” e mediação do jornalista Marcelo Hailer, a mesa contou com a participação de Dri Quedas, colunista do site Dykerama.com, Thiago Magalhães, do blog Instrospecthive, e Vitor Angelo, do Blogay, pertencente ao portal Folha.com. Os convidados tiveram cerca de 20 minutos cada um para expor suas ideias e contar sobre suas experiências com a blogosfera, e depois responderam perguntas do público.

Um dos primeiros questionamentos levantados foi se blogs podem ser considerados jornalismo. Para Vitor Angelo, os blogs são a forma mais autêntica de expressão do “eu”. “A grande novidade nos blogs é assumir a presença do ‘eu’. Acredito que a grande diferença dos blogs em relação à imprensa é a questão da individualização”, observou.

Na opinião de Thiago Magalhães, “blog é antes de tudo informação”. “Estamos expostos a um bombardeio de informação, embasadas ou levianas, mas o que ocorre hoje é que a produção de conteúdo não é feita somente pela grande imprensa. Como blogueiro, você é um transformador, interfere nos rumos, fura o pensamento dominante”, falou.

Para o blogueiro, a diferença entre blogs e imprensa é que esta “tem que falar com todo mundo, comunicar-se com o senso comum, dar um recado que todo mundo entende. “Já o blog permite uma segmentação mais forte, por exemplo, posso fazer um blog apenas sobre gastronomia. Outra diferença é que o blog é independente, você não precisa se submeter aos interesses comerciais dos veículos”, acrescentou.

Ainda na opinião de Magalhães, “o jornalismo pressupõe uma responsabilidade social que o blog não tem”. “Não se pode cobrar dos blogs que você tenha essa postura. Não se pode cobrar o rigor do jornalista que o blogueiro não tem.”

Dri Quedas trouxe impressões sobre seu contato com as leitoras, observando as peculiaridades inerentes ao universo lésbico. “Acho que, no universo lésbico, qualquer coisa que você fale é mais pesssoal. E os comentários são muito passionais. Parece que o que você fala vira referência, ecoa na rede”, contou.

Para a colunista, um dos grandes paradoxos dos blogs é a falta de controle do que é publicado nas páginas. “Isso é bom por um lado, mas às vezes a linguagem pode ser interpretada de forma distorcida por pessoas que não são necessariamente o público alvo do seu blog”, observou.

Dri Quedas opinou que blog não é jornalismo, destacando que nos diários virtuais a forma e conteúdo não são restritos. “Blogs são quase uma libertação para aqueles que querem falar algo. O importante hoje é saber qual informação vale ou não. Devemos nos perguntar: Essa é uma fonte que vale a pena confiar?”, questionou.

Blogs x redes sociais
Outro assunto levantado pelo público durante o debate foi se já é possível notar uma concorrência entre os blogs e as redes sociais.

Para Vitor Angelo, sites como Twitter e Facebook podem ajudar na audiência dos blogs. “As redes sociais podem ajudar na audiência, mas também ajudam na perda de interesse em escrever no blog. Sites como o Twitter podem dar mais popularidade. Tanto é que blogueiros famosos, como Katylene, migraram para as redes sociais”, observou.

Já na opinião de Thiago Magalhães, no Twitter, a produção é mais lacônica e, no blog, mais prolixa. “Mas há leitores para ambos. Dizem que o blog esta datado, que as pessoas não têm mais tempo para ler, mas há ainda espaço para os blogs”, concluiu.

O evento “Diversidade na Cultura” continua nesta sexta-feira, em dois horários. Das 15h às 17h, acontece a mesa “Realidade e ficção: a construção da personagem LGBT”, com participação do jornalista Gustavo Miranda, do poeta Hugo Guimarães e do escritor Kizzy Ysatis.

Às 17h, na mesa “Grandes personagens lésbicas” Laura Bacellar e Lúcia Facco falam da força de personagens lésbicas que marcaram gerações inteiras. No sábado, a última mesa, “A representação de LGBT na mídia”, terá as presenças das jornalistas Ciça Vallerio e Kátia Mello, e do blogueiro Duilio Ferronato.

Serviço:
Diversidade na Cultura
Local: Mezanino da loja de Artes da Livraria Cultura Conjunto Nacional – Av. Paulista, 2073 – Fone: (11) 3170-4033.
Hoje, sexta-feira, das 15h às 17h, e das 17h às 19h
Amanhã, sábado, das 17h às 19h
Entrada franca

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *