Programa Mais Cultura RS garante R$ 20,6 milhões em 2011

O repasse vai garantir destinação de R$ 18,9 milhões para Pontos de Cultura, entre verbas do Ministério e da Secretaria. Para o governador Tarso Genro, os investimentos são parte de uma política de Estado para a cultura. “Precisamos investir em um espírito de resgate das funções públicas e em uma intensa e profunda participação popular, o que não se faz sem um projeto para a cultura. A cultura não é algo E cultura, é A cultura e deve integrar as políticas de desenvolvimento”, disse o governador.
A ministra Ana de Hollanda sublinhou que chega ao Rio Grande do Sul “com um certo atraso”e que desde o momento em que assumiu o MinC pensa na vinda ao estado. “O Rio Grande do Sul para mim, e para o Brasil, representa um pólo, uma personalidade muito forte na nossa cultura. Há um orgulho por sua história que se difere tanto da maioria dos estados do Brasil e que gerou uma cultura muito própria, mas que também marcou o país”, discursou a ministra que ainda lembrou de Mario Quintana e Erico Verissimo ao afirmar que um dos maiores escritores e um dos maiores poetas brasileiros nasceram e viveram a vida inteira no sul do país.
Segundo Vitor Ortiz, secretário-executivo do MinC, o total de investimentos na área da cultura para os próximos quatro anos chegará a R$ 63 milhões. Em 2011, apenas em novos investimentos do MinC no estado, a cifra será de R$ 20,6 milhões. O montante será distribuído em ações específicas como a criação do que está sendo chamado de uma nova geração de Pontos de Cultura no Rio Grande do Sul e a modernização de 50 bibliotecas, entre outros investimentos.
“Nossa maior beleza é a nossa diversidade”
O secretário Assis Brasil concluiu grifando a multiplicidade do estado, o que vitaliza e fortalece sua cultura e também lembrou Erico Verissimo. “Como lugar de convergência de nacionalidades, formamos um estado com amplos espaços de hibridismos linguísticos e culturais. Isso explica a variedade de rostos, de crenças e de formas de encarar a vida. O Rio Grande do Sul vai muito além da caricatura que nos reduz a um tipo canibalizado por alguma parte da inteligência brasileira, a começar pelo romance O Gaúcho, de José de Alencar. Acusam-nos de atrevidos e poucos modestos, mas isso não deve ser levado muito a sério. Somos cavalheiros, algo tímidos até. O maior símbolo de nosso caráter é Erico Verissimo, homem brando e de fala suave, mas visceralmente firme em suas convicções, que foi capaz de recusar homenagens da Ditadura Militar. Além disso, somos um povo que ama o recolhimento do outono e a intimidade do inverno, o que deve significar alguma coisa. Nossa maior beleza é a nossa diversidade. Se temos algo que une a nós neste subextremo é a certeza de partilharmos uma ética coletiva que respeita a honradez e abomina as formas torpes de convivência política. Todos nós temos orgulho de nossa regionalidade, mas temos igual orgulho de pertencer à nacionalidade brasileira e de participar como habitantes deste mundo tão imenso quanto nosso sonho”, finalizou.
A agenda da ministra Ana de Hollanda segue em Passo Fundo, para a abertura da 14° Jornada Literária. Na terça-feira, 23, em Porto Alegre, acontece o ato de lançamento do edital Juventudes: Diálogos Interculturais em Rede – parte do Programa Cultura Viva – na sede do Odomodê, Av. Ipiranga, 3850.
Fonte: Secretaria Estadual de Cultura do RS

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *